Planos de Aula de Musicalização

Musicalização para Séries Iniciais do Ensino Fundamental
Resolvi postar aqui algumas sugestões de atividades para aulas de musica, espero que gostem...
Muito material aproveitei dos cursos de música que tenho feito e da Pedagogia. Algumas atividades tirei de outros blógs e sites relacionados, portanto se a idéia for sua deixe um comentario  que lhe darei créditos.
O planejamento é criação minha, mas fico feliz em compartilhar com vocÊs minhas idéias também.
"Estarei sempre atualizando e postando novas atividades."

A Musica na Nossa Vida

OBJETIVO GERAL: Promover atividades que desenvolvam a linguagem musical e oral, juntamente com habilidades rítmicas, visuais, motoras, físicas e psicológicas.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Levar os alunos à: desenvolver a capacidade auditiva; exercitar a atenção, concentração e despertar a capacidade de análise e seleção de sons; liberar suas emoções, desenvolvendo um sentimento de segurança e auto-realização; desenvolver a expressão corporal; alcançar progressivo desenvolvimento musical rítmico, melódico, harmônico, tímbrico, nos processos de criar, improvisar, compor interpretar e apreciar de maneira livre e coletivamente;



AULA 1: No primeiro dia de aula é legal fazer uma dinâmica musical com brincadeiras ou jogos, para se sentirem a vontade e se socializarem com você professor e os colegas. 
Atividade 1: Dinâmica: Algumas Sugestões:


 "Abraços Musicais Cooperativos" 
Definição: Trata-se de saltar no ritmo da música, abraçando-se a um número progressivamente maior de companheiros até chegar a um grande abraço final. 
Objetivos: Favorecer o sentimento de grupo desde a chegada positiva de todos.
Material: Um aparelho de música ou um instrumento musical.
Ordem de partida: Ninguém deve ficar sem ser abraçado.
Desenvolvimento:
1. Uma música soa, os participantes começam a dançar; quando a música para, cada pessoa abraça a outra. A música continua, os participantes começam a dançar, se querem, podem dançar com o companheiro. Na seguinte vez que a música parar, se abraçam três pessoas. O abraço vai ficando cada vez maior até chegar a um grande abraço final.
Avaliação: O jogo tenta romper o possível ambiente de tensão que pode haver no princípio de uma sessão ou um primeiro encontro. Cada participante expressará como se sente e como viveu o jogo. 

 A teia da amizade 

Objetivo: Apresentação nos grupos; conhecimento mútuo; a importância de cada um assumir a sua parte na vida.

Participantes: 20 pessoas. 

Tempo Estimado: 10 a 15 minutos. 

Material: Um rolo (novelo) de fio ou lã e um aparelho som. 

Descrição: Dispor os participantes em círculo. 
O coordenador coloca uma música e toma nas mãos um novelo (rolo, bola)

de cordão ou lã. Em seguida prende a ponta do mesmo em um dos dedos de sua mão.



Pedir para as pessoas prestarem atenção na apresentação que ele fará de si mesmo. Assim, logo após se apresentar brevemente, dizendo que é, de onde vem, o que faz etc, joga o novelo para uma das pessoas à sua frente.



Está pessoa apanha o novelo e, após enrolar a linha em um dos dedos, irá repetir o que lembra sobre a pessoa que terminou de se apresentar e que lhe atirou o novelo. Após faze-lô, essa segunda pessoa irá se apresentar, dizendo quem é, de onde vem, o que faz etc...



Assim se dará sucessivamente, até que todos do grupo digam seus dados pessoais e se conheçam. Como cada um atirou o novelo adiante, no final haverá no interior do círculo uma verdadeira teia de fios que os une uns aos outros.



Pedir para as pessoas dizerem:

- O que observaram;
- O que sentem;
- O que significa a teia;
- O que aconteceria se um deles soltasse seu fio etc.

Mensagem: Todos somos importantes na imensa teia que é a vida; ninguém pode ocupar o seu lugar




DINÂMICA DA CAIXA DE PRESENTE

Formação em círculo. 

O que vai precisar: uma caixa embrulhada para presente com balas e aparelho de som. O conteúdo deve ser bem preparado de modo que não se perceba o que há dentro. 

Desenvolvimento: 

Dirigente: Escolhe alguém do grupo e diz: 

- Este presente é especial; passe-o para a pessoa que você considera a mais simpática do grupo. 

- Parabéns! Porém, a sua simpatia não fará com que você permaneça com o presente. Passe-o para a pessoa mais alegre. 

- Parabéns! A sua alegria é muito importante para o grupo, mas passe o presente para a pessoa que você considera mais atenciosa. 

- Parabéns! Saiba que você é uma pessoa muito querida, mas isso ainda não a torna dona do presente. Passe-o para quem você considera mais inteligente. 

- Você está com a bola, menos com o presente. Entregue-o a quem você considera mais tímido. 

- Poderia ser seu, se não houvesse entre nós uma pessoa que é a muito dedicada à oração. Dê o presente a ela. 

- Parabéns! Você é exemplo para o grupo e sabemos que entregará o presente ao irmão mais humilde. 

- Parabéns! A humildade é uma grande virtude e você poderia ficar com o presente se, entre nós, não houvesse uma pessoa que se mostra simples e honesta. Passe-o para ela. 

- Parabéns! Com tanta honestidade você saberá reconhecer a pessoa mais generosa do grupo. Entregue o presente a ela. 

- Muito bem! A sua generosidade fará com que você reparta o presente com todos! Parabéns!
Obs.: Para divertir ainda mais as crianças, da pra embrulhar duas caixas, numa colocar as balas (doces) e na outra algumas cebolas, e quando brincar usar a caixa de cebola, quando o ultimo abrir a caixa, vai se espantar em ver que tem cebolas e isso é motivo pra boas gargalhadas, mas aí você diz que isso não passou de uma brincadeira e que na verdade o presente é outro e entrega a verdadeira caixa com balas pra criança. E quando ela abrir você pede que ela reparta as balas com todas as crianças.



DINÂMICA DO ESPELHO
Apresentar uma caixa com tampa, decorada e atraente dizendo que dentro dela tem o que existe de mais precioso, de mais importante, um verdadeiro tesouro.Propor, então, uma brincadeira onde cada um terá que olhar o que tem dentro da caixa, ver qual é este tesouro e manter segredo · Dentro da caixa deve conter um espelho, bem no fundo, do tamanho exato da mesma. No momento em que a criança for olhar o tesouro verá refletida sua própria imagem.Ficar atento a cada reação individual ao deparar-se com a própria imagem. É fundamental criar um clima de muito interesse provocando sempre: Qual será este tesouro?Após todos terem visto, abrir a conversa informal."O que vocês viram dentro da caixa? Descobriram o tesouro?"Aproveitar cada resposta dos alunos, orientando-os quando necessário, mas propiciando que se expressem. A conversa deve fluir até o ponto em que os alunos percebam que eles são o tesouro – cada um deles – por isso não poderiam contar o segredo – pois todos somos únicos – Ninguém é igual a ninguém.


*** Obs.: Você pode incluir um momento "x" para cantar algumas musicas com eles em todas aulas. Cante uma música para eles sempre no início e no fim da aula, identificando que a aula vai começar e que a aula vai terminar.

AULA 2 : Nesta segunda aula a criança vai entender como a musica surgiu.
Atividade 1: Primeiro você conta a história de como nasceu a música, você pode utilizar imagens para ilustrar a história do jeito que achar melhor, eu fiz uma ilustração que está disponível para download:

Você pode mudar a história, use a imaginação.


Atividade 2: É interessante depois de contar a historia sair da sala com as crianças e dar uma passeada no patio da Escola ou um lugar próximo, onde as crianças possam ouvir muitos sons diferentes. Você tem que explicar, que eles tem que fazer silêncio para ouvir os barulhos e depois você pede pra eles o que conseguiram ouvir e o que mais chamou a atenção, enfim, vai relatando com eles o que vivenciaram.

Atividade 3: Depois de ouvirem diferentes sons, você pode pedir pra eles fazer um desenho, ilustrando o que ouviram, ou você pode pedir para que eles imaginem um lugar x, ex:(praia, floresta) e façam um desenho do que há nesse lugar x que faça barulho. Eles amam desenhar.



AULA 3: Dando continuidade a aula anterior, você pode nesse momento Explicar pra eles o que é som natural e o que é som cultural:
Atividade 1: Se a Escola é na cidade, você pode pedir para eles ouvir atentamente os sons que nos rodeiam, aí eles podem ouvir: buzina de carro, motor dos carros, passaros, vento, conversa de pessoas, barulho de construção, etc... Eles tem que ir falando o que tão ouvindo, coletivamente. Após isso  Apreciar duas paisagens diferentes: uma de caráter urbana e outra de caráter rural;

  

Classificar os sons das imagens apresentadas partindo de duas categorias:
sons naturais e sons culturais; 
Imaginem que fossemos dar vida as duas imagens acima e que algumas coisas
acontecessem, na seguinte ordem.
Partindo dessas hipóteses, veja a tabela abaixo e, marque na frente de cada
acontecimento as letras (N – C) de acordo coma classificação dos sons.
N = sons naturais;
C = sons culturais;

1º. O cavalo galopa N
2º. O homem tosse N
3º O celular da mulher toca C
4º. Pássaros cantam N
5º. Um carro buzina C
6º. Outro carro freia C
7º A sirene de uma fábrica toca C
8º Um bebê chora dentro do ônibus N
9º Um motorista assovia N
10º Um cachorro, dentro do carro late N
11º O guarda apita para um motorista C

Se há recursos na Escola, você pode pedir para pesquisarem sobre isso...

Atividade 2: Recortar de revistas ou jornais figuras de imagens rurais e urbanas e montar um mural ou um cartaz, ou fazer em grupos, e colar e descrever os sons que ha nas imagens e se são sons naturais ou culturais.



AULA 4: Nessa aula você pode explicar o que é SOM, tambem podem pesquisar juntos  sobre.:
Atividade 1:
VAMOS SABER UM POUCO SOBRE SOM
O que é som?
Som é uma onda
Quando você atira uma pedra na água, você vê ondas. Essas ondas estão ligadas
ao movimento da água.
O som se produz da mesma maneira. Quando batemos em um tambor, por
exemplo, também se formam ondas, que não podem ser vistas, mas ouvidas.
Elas são ondas sonoras ou vibrações
Portanto: Som é vibração.

Atividade 2: Você pode criar uma caixa surpresa e dentro dela colocar diversos materiais, como : plastico, folhas de revista, sacolinha de plastico, colheres, copo de plastico, potes, pedras, cascas de coco ou porungos, vidro, folha de raio x, entre outros..., e aí você vai pedindo para que cada um descreva o que é pelo som que ouvir. Depois todos podem comentar sobre esses barulhos...
...Você pode pedir para que cada aluno traga para a proxima aula um objeto de casa, um objeto a escolher, que tenha um barulho diferente e interessante, onde todos compartilhem das descobertas dos sons.

Atividade 3: Nesse momento podemos fazer uma dessas atividades, qual você achar melhor: Ainda pode dar uma delas de tema para fazer em casa...





AULA 5:
 Atividade 1: Nessa aula, no primeiro momento vocês vão dividir todos juntos as descobertas dos sons dos materiais trazidos de casa, pedido na aula anterior, descrever coletivamente esses sons.


Atividade 2: 

ou ainda se preferir pode trabalhar a PAISAGEM SONORA:

Atividade 3: Agora é hora de brincar: Fazer um círculo com todos e com um instrumento de percussão (chocalho, guizo, xequerê, etc...), apenas um . Começa por um aluno esse que deverá fazer barulho com o instrumento, depois ele passa para o colega do lado que deverá passar adiante sem fazer barulho, e assim sucessivamente, depois inverte, para que todos toquem e todos fiquem sem tocar. Essa brincadeira faz com que eles entendam que o silêncio faz parte da Música, e que a música é um conjunto de sons e silêncios. 




AULA 6: Bom, aqui seria muito interessante passar o filme: "O Som do Coração"

Ou também se preferir, pode passar outro filme sobre o assunto, ou alguns videos relacionados, fica à criatividade do educador, ou também conforme o tempo de aula.
Mas esse momento seria para uma video aula.


AULA 7: Agora que eles ja entenderam um pouquinho sobre a matéria prima da musica: som e silêncio, é hora de entender também os parâmetros dos sons. Vamos começar com a ALTURA:
Atividade 1: Bom, pra começar, é preciso explicar um pouco sobre a altura na música: sons graves e agudos. Caro professor, inicie a aula tocando dois exemplos musicais a partir de um CD ou outro tipo de mídia. Eles deverão contrastar por terem momentos claramente baseados em sons graves – em um caso – e sons agudos – em outro. Você mesmo poderá executar em um instrumento qualquer ou mesmo com a voz; neste caso é interessante optar pelo mesmo trecho musical.
No link abaixo, logo no início da música, temos um trecho musical que aparece repetido, inicialmente mais agudo e, a seguir, em região mais grave. Você pode utilizá-lo como exemplo na sua aula:




 Pergunte aos alunos qual foi a principal diferença entre um e outro trecho. Estimule a imaginação e a capacidade de comparar diferentes momentos musicais valorizando as respostas que se aproximam mais de uma boa descrição do que foi exposto com relação à altura dos sons. Se você obtiver respostas como “som fino” e “som grosso”, explique que aquilo que eles chamam de som fino, é conhecido tecnicamente como agudo e, de som grosso, é conhecido como grave.

Aponte sons graves e agudos encontrados comumente no cotidiano. Por exemplo: pios de passarinhos e guinchos de freio são mais graves ou mais agudos que o som de um contrabaixo? O que é mais agudo, o apito do juiz numa partida de futebol ou o retumbar de um surdo (maior tambor da formação)? E se compararmos o som da voz masculina e o da feminina, qual é o mais grave? Procure utilizar-se também de exemplos cujos sons possam ser ouvidos naquele momento.


 Agora proponha um exercício. Forme pequenos grupos, de preferência misturando meninos e meninas e peça aos alunos para compor um pequeno fragmento musical com alturas diferentes. Cada aluno deverá executar sempre uma mesma altura, uma mesma frequência. A composição será gerada da união dos diferentes sons escolhidos. Ao final, teremos uma peça calcada em diferentes alturas, sendo cada integrante um instrumento que toca apenas uma nota ou um som de mesma frequência. 
Visite os grupos e ajude-os enquanto estiverem compondo. Estimule-os com dicas e opiniões, tomando cuidado para não compor por eles.
Créditos desta atividade para: Rodrigo Russano

Atividade 2: Bem agora eles ja entenderam o que é altura, é hora de brincar: Com um palhaçinho (que vc mesmo pode fazer), cante a música Jack in the box:
Jack in the box é um palhaçinho que mora no cone, muito quetinho, mas tome cuidado, não mexa na tampa, se não ele "voa", e sai...,
... baixo, alto, baixo, alto, que engraçado ele é...(repetir)
o que esta em vermelho cantar agudo, o que esta em azul cantar grave.

Depois de cantar para eles com o palhaço de exemplo vocês podem brincar todos juntos, em circulo, cantam a canção e quando for baixo: se abaixam, e quando for alto: se levantam. É uma brincadeira muito divertida.


AULA 8: Dando continuidade para o parâmetro altura, você pode novamente tocar para eles um instrumento ou colocar uma música, identificando os sons graves e os agudos.
Atividade 1: Através de ilustrações gráficas ou fotos pedir as crianças que reproduzam e identifiquem os sons graves e agudos.
Exemplos de figuras: passarinho e leão, bebê e adulto, gráficos que representem ondas sonoras.., etc.
Objetivos Específicos: Estimulação  visual e reconhecimento de fotos e figuras, criatividade ao imitar os sons das figuras.

Atividade 2: 


Atividade 3: Hora de brincar com a brincadeira do vivo ou morto, lembra?, só que ao invés de dizer vivo, você diz agudo, e em vez de dizer morto, você diz grave, eles aprendem rapinho e vão se divertir muito.

Atividade 4: Se der tempo você pode fazer uma dessas atividades com eles, ou também pode dar em outra aula, como preferir.


Você ainda pode em qualquer momento das duas aulas, mostrar como se registra um som grave e um som agudo, explique que sempre ao registrar a altura deve-se identificar o som agudo com um sinal em cima, e o grave em baixo, ex.:      _______agudo

                                             grave________

ou ainda, ^^^^^^^^ agudo

                                                  ^^^^^^^^ grave


AULA 9: Bom agora sim eles ja entenderam o que é altura na música, então é hora de entender o que é INTENSIDADE:
Atividade 1: Explique o que é: A intensidade é a força do som, também chamada de sonoridade. É uma propriedade do som que permite ao ouvinte distinguir se o som é fraco (baixa intensidade) ou se o som é forte (alta intensidade) e ela está relacionada à energia de vibração da fonte que emite as ondas sonoras.
Não esqueça de mostrar com um instrumento, ou com a voz, um exemplo de um som forte e fraco.EX.:  Inicie o trabalho falando – num tom normal de voz – sobre qualquer coisa que você queira. Fale sobre assuntos em voga no mundo da indústria musical e/ou cultural: um cantor ou uma cantora que esteja em evidência, uma banda que acabou de lançar um disco, etc. Abaixe gradativamente o volume de sua voz até que os alunos notem que há algo errado. Então, comece a cochichar. Subitamente aumente a intensidade até estar quase gritando, o que causará um susto nos alunos.

2. Interrompa a história e pergunte o que aconteceu de diferente em sua forma de falar do início da aula até aquele momento. Os alunos certamente dirão que sua voz mudou, e é muito comum o uso de diferentes adjetivos, muitas vezes inadequados, como “grosso”, “agudo”, “grave”, “bravo” e outros mais para se referir à sua maneira de falar. Explique que o que mudou foi a intensidade sonora e que este recurso é uma das qualidades ou propriedades do som. Explique que a intensidade está ligada à energia que se imprime à fonte sonora. Assim, quanto mais enérgico o movimento, mais forte será o som e vice-versa. Exemplificando: se tocarmos uma corda de violão com muita delicadeza, produziremos um som fraco, com pouca intensidade; se tocarmos com bastante força, produziremos um som forte. Da mesma forma com um tambor ou qualquer outro instrumento. CRÉDITOS PARA: Rodrigo Russano

Atividade 2: 


Atividade 3: É hora de brincar: Escolha algumas dessas brincadeiras que ache melhor:
Alguns exemplos de atividades musicais utilizando a propriedade intensidade:

Ativ 1: 
Utilizando um tambor, as crianças cantarão uma canção. Ao variar a intensidade do tambor, de pianíssimo à forte as crianças deverão acompanhar com a intensidade da voz. Cantando pianíssimo para fraco, e aumentando o “volume” da voz para forte. 
Objetivos Específicos: Trabalhar a articulação facial, a dicção e a percepção auditiva. 


Ativ 2: 
Acompanhar uma música no rádio, música esta, conhecida pela criança. Ela vai bater palmas, quando o volume do aparelho estiver no som forte (palmas fortes), quando estiver no som fraco, bater palmas fracas. 
Objetivos Específicos: Variação de intensidade na articulação dos membros superiores, concentração e propriocepção. 

Ativ 3: 
Ao som de uma música no rádio, já conhecida pela criança ela fará variações balançando os braços, imitando um maestro, movimentos amplos para um som forte,movimentos pequenos para sons fracos. 
Variações: Se for em grupo, uma criança é o maestro e as demais serão os instrumentos. As que forem os instrumentos deverão obedecer aos movimentos do maestro. 
Objetivos Específicos: Trabalhar a propriocepção, a amplitude dos membros superiores e inferiores, a espacialidade e a atenção. 

Ativ 4: 
O professor esconderá um objeto na sala enquanto a criança esperará do lado de fora da mesma. Ao retornar à sala, ela irá procurar o objeto enquanto o professor toca um instrumento em pianíssimo quando estiver longe e forte quando estiver perto. 
Objetivos Específicos: Organização e sociabilização. 

Ativ 5: 
Utilizar dois cartões de cores diferentes, exemplo: vermelho e preto. Vermelho para o som fraco, e preto para o som forte: a criança deverá apontar ou levantar o cartão ao ouvir o som fraco ou o som forte. Pode-se utilizar um rádio ou instrumentos musicais para produzir os sons.
Objetivos Específicos: Trabalhar a concentração sensorial, a percepção visual e a audição. 
CRÉDITOS PARA: Flavia Nogueira

* Bom para completar a aula sobre intensidade, não esqueça de mostrar como se registra um som forte e um som fraco, ex.:
 ou também:        forte: ........
                                                                             fraco: ................


AULA 10: Agora é hora de aprender sobre DURAÇÃO:
Explique que A duração é o tempo que o som permanece em nossos ouvidos, isto é, se o som é curto ou longo.
Atividade 1: Tóque um instrumento identificando o som curto e o som longo.
Escolha uma das brincadeiras ou mais, como preferir:
Abaixo, veremos alguns exemplos de atividades que utilizam a propriedade duração:

Ativ 1:
Tocar no teclado notas curtas “stacatos” e notas longas. Ao ouvir os stacatos as crianças deverão saltar acompanhando o som; com as notas longas parar e espreguiçar alongando o corpo. 
Objetivos Específicos: Trabalhar a movimentação dos membros inferiores e superiores, a propriocepção e a atenção. 

Ativ 2:
Tocar uma música variando o andamento. As crianças deverão correr e andar de acordo com o andamento da mesma. 
Objetivo Específico: Treinar a marcha, a espacialidade e a atenção. 


Atividade 3: 
Distribuir folhas e lápis coloridos e orientar as crianças para fazerem desenhos “livres”quando ouvirem um som longo ou um som curto sendo tocado no teclado ou flauta. 
Objetivos Específicos: Trabalhar a atenção, a percepção espacial e a criatividade. 


Ativ 4: 
Demarcar a sala com uma linha, identificando um som longo e um som curto. A linha maior: som longo, e a menor: som curto. As crianças deverão identificar o som curto ou o som longo que será tocado no teclado e escolherá uma das linhas para caminhar em cima. 
Objetivos Específicos: Trabalhar a própriocepção, o equilíbrio e a marcha. 

Ativ 5: 
A criança ouvirá sons de vários animais (baixe aqui cd com sons diversos) e irá identificar qual destes animais têm um som longo ou curto, exemplo: o mugido da vaca, o piado do pintinho, etc.,tentando assim, imitar o som dos respectivos animais a serem apresentados, os que fazem o som longo e o som curto. Pode-se utilizar os outros sons contidos no Cd.

Objetivo Específico: Percepção auditiva, criatividade e atenção.


Lembramos que as atividades propostas são sugestões e  podem ser ampliadas e modificadas, de acordo com o objetivo e faixa etária. 
CRÉDITOS PARA: Flavia Nogueira

Atividade 2: Escolha também uma ou como preferir:

* Claro que você também tem que mostrar como registra-se o som longo e o som curto:
ex.:   longo __________
curto ___
ou ainda: longo ...................................................
curto .........           .........          ..........

AULA 11: Vamos conhecer o TIMBRE?
Atividade 1: Explique o que é timbre: Timbre é a característica sonora que nos permite distinguir se sons de mesma frequência foram produzidos por fontes sonoras conhecidas  nos permitindo diferenciá-las.
O Timbre é a “cor” do som. Aquilo que distingue a qualidade do tom ou voz de um instrumento ou cantor, por exemplo, a flauta do clarinete, o soprano do tenor.

Cada objeto ou material possui um timbre que é único, assim como cada pessoa possui um timbre próprio de voz, tão individual quanto as impressões digitais. 

Abaixo, veremos alguns exemplos de atividades que utilizam a propriedade timbre:

Ativ 1: 
Seguir comandos de acordo com o timbre do instrumento tocado. Quando ouvir o tambor, parar como estátua, quando ouvir o agogô correr, e quando ouvir o triângulo andar na ponta dos pés.
Objetivos Específicos: Trabalhar a marcha, alguns movimentos corporais e a concentração. 

Ativ 2: 
Colocar as crianças sentadas em círculo, uma sentada no centro da roda com os olhos vendados tentará reconhecer a voz de quem está falando ou cantando, acertando então o nome do colega, este então irá para o centro da roda. 
Objetivos Específicos: Trabalhar a percepção auditiva, a atenção e a sociabilização. 

Ativ 3: 
 Colocar dentro de um saco grande, instrumentos e objetos que produzam som. Manipular os objetos e os instrumentos sem serem vistos pelas crianças.Elas deverão identificar o som dos mesmos pelo seu timbre. 
Objetivos Específicos: Percepção auditiva e sociabilização.

Ativ 4: 
O grupo será dividido em duplas, onde a dupla escolherá um instrumento específico e fará através de expressão corporal, como é tocado este instrumento, enquanto os outros grupos tentarão identificar o instrumento e produzir o som que o mesmo faz. 
Objetivos Específicos: Trabalhar a coordenação motora, a criatividade e a percepção auditiva e visual. 


Ativ 5: 
Ouvir diferentes sons e identificar a fonte sonora. Utilizar o CD de sons. (Baixe o Cd com vários sons)

A identificação poderá ser feita falando a fonte, ou através da indicação de figuras. (sugestões de figuras abaixo)


CRÉDITOS PARA: Flavia Nogueira

Atividade 2: 

Atividade 3: Hora de Brincar: Você também pode brincar com eles de QUE SOM É ESSE? ex.:

Você coloca um cd com sons de animais diferentes e aí tem que adivinhar o som do animal e imitar, ou se preferir pode mostrar uma figura do animal, e ainda podem cantar algumas músicas relacionadas, eu fiz com os pequenos da educação infantil assim: imprimi varias figuras de animais diferentes em cartões, e coloquei numa caixinha, todos sentamos num circulo e chamei um por um para vir até mim e escolher um cartão, ele tinha que imitar o animal que estava ilustrado, e os outros tinham que adivinhar que animal que era, e quando acertavam ele mostrava a figura do cartão para todos, e concluíamos cantando uma música relacionada ao bichinho.
Use a criatividade...


Agora terminamos os quatro Parâmetros dos Sons. 
Para concluir esta etapa, você pode construir um jogo dos cartões : em cada cartão você registra uma melodia, um pedaço de um rítmo,            ________   (som agudo, longo e fraco)
                                                      _ _ _ _ _ _ (sons curtos, grave e forte)



crie varios cartões diferentes, uns com altura, outros com intensidade, outros com duração, e misturados também, e faz uma cópia de todos os cartões para vc ter como referência qndo tocar, aí você distribui um cartão para cada um e pegue instrumentos diversos, e tóque um exemplo de um cartão e o aluno vai ter que descubrir se esse tóque é o que esta no seu cartão.
**Quando eu fizer o jogo dos cartões colocarei aqui para download.

Outras SUGESTÕES:

Percepção de parâmetros sonoros/ Conjunto de instrumentos

Intensidade
Percepção de nuances de suave e forte

Músicas propostas
A. VIVALDI – As Quatro Estações – Primavera – Allegro ( estrato)
G. BIZET – Carmen – Suíte de Orquestra n 1 – Os dragões de Álcala

As crianças ouvirão a música concentradamente. O professor pedirá que observem na audição os momentos onde existem variações de intensidade. Diferentes imagens mentais e personagens poderão ser trabalhados ludicamente através do movimento corporal, na intenção de clarificar as nuances de intensidade, como por exemplo: Popeye e Olívia Palito. A cada personagem corresponderá uma forma diferente de mover-se ou locomover-se, de acordo com a intensidade da música.
As nuances de intensidade poderão ser explicadas também das seguintes formas:
Tocando instrumentos diferentes sobre as partes suaves e fortes da música.
Percutindo o corpo em diferentes partes ou de forma a obter diferentes intensidades, correspondentes às partes da música.
Realizando uma espécie de diálogo corporal entre dois grupos: uma deles representa o forte e o outro, o suave.

Altura
Percepção de sons graves e agudos, registro grave e agudo e movimento sonoro.

Músicas propostas
C.SAINT SAENS – O carnaval dos animais – Animais de Orelhas compridas
C. SAINT SAENS – O carnaval dos animais – Elefante / galinhas e galos
C. SAINT SAENS – O carnaval dos animais – Hemiones

As crianças ouvirão a primeira música. Após a audição, o professor suscitará alguma discussão sobre o tipo de sons ouvidos. A música é um exemplo muito claro de como as quatro propriedades do som estão sempre presentes. Nesse caso especificamente, o professor pode chamar a atenção para o fato de que há na música sons graves e agudos, fortes e suaves, curtos e longos, e ainda fazer com que observem o timbre do violino.

Exercícios de diferenciação das propriedades do som poderão ser feitos a partir de sons vocais ou instrumentos produzidos em sala de aula. Nesse caso, as crianças deverão ouvir o som e perceber quais são suas propriedades. Diversas estratégias corporais e lúdicas podem ser usadas para brincar com os graves e agudos:
Acompanhar os movimentos do som com os braços
Sorrir no agudo; ficar sério no grave
Saltar no agudo; agachar no grave

Registro grave e agudo –“Elefante/ galinhas e galos” 
Na segunda música, as crianças perceberão dois trechos musicais; um na região grave ( o elefante) e o outros na região aguda ( galinhas e galos). Formas diferentes de mover-se e locomover-se poderão ser explorados sobre essa música, classificando os registros de intensidade. Poderão ser criados brincadeiras de dois grupos de crianças – agudo e grave – cada grupo se moverá somente ao ouvir o estímulo sonoro adequado.
Com esta música poderá abordar a questão da marcha lenta e rápida, criando-se diferentes formas de locomoção.

Movimento sonoro – “O pianista”
Nessa música torna-se fácil perceber as ondas de movimento sonoro qie impulsionam-se o tempo inteiro do grave para o agudo e vice-versa. Podem ser utilizadas as seguintes estratégias para aproveitá-la:
Mover mãos e braços de acordo com o movimento sonoro.
Mover-se o corpo inteiro abaixando-se e levantando de acordo com as variações observadas.
Fazer mímica de pianista.
Propor que desenhem numa folha as ondas de movimento sonoro que consigam perceber, dessa forma se pode introduzir o grafismo simbólico na representação das alturas.

Timbre
Discriminação auditiva, jogos de locomoção, criação de estórias e crincadeira de orquestra

Músicas propostas
G. BIZET – Carmen – Suíte da Orquestra n 2 – La garde Montante
E. WIDMANN- Cinco danças – Sofia/ Ana
J. PH> RAMEAU – Suíte da Ópera Dardanus – Tambourin I e II

Primeira música: trompete/ flautins/ cordas em pizzicato/ triângulo/ orquestra de cordas; em entradas sucessivas e cumulativas.
Segunda música: orquestra de instrumentos antigos de cordas, sopros e percussão/ instrumento de corda solista/ flautas solistas; os grupos instrumentais dialogam entre si.
Terceira música: flautas e cordas em pizzicato / cordas / tutti orquestral que inclui a percussão; os grupos instrumentais dialogam entre si, como no exemplo anterior.

As crianças ouvirão algumas vezes a música para discriminar diferentes timbres de instrumentos e grupos de instrumentos. 
Os diferentes timbres poderão ser apresentados por diferentes grupos de crianças movendo-se nas partes correspondentes da música.
Sentados em semi-círculo, as crianças podem montar uma orquestra regida pelo professor. A orquestra conterá diferentes grupos instrumentais determinados previamente, após as primeiras audições. Cada um dos grupos se levantará ao ouvir o som do seu instrumento ou grupo instrumental, nas demais partes permanecerão sentados. Finalmente cada uma das crianças terá o oportunidade de reger a orquestra. Nesta oportunidade, se pode ensinar às crianças os movimentos de marcação de compasso e como são utilizados pelo regente de uma orquestra.

Nessa mesma brincadeira, os timbres poderão ser ressaltados tocando instrumentos – sininhos e pequenas percussões sobre as partes determinadas da música.

Criar estória. Partindo do timbre sonoro, criar uma estória sugerida pelos sons. Desenhar.

Acuidade auditiva / registro do som e fonte sonora
Escutar atentamente o som
Qual é fonte sonora? Desenhar a fonte sonora
Como é o som que você está escutando? Desenhar o som graficamente.

Importante: Quero lembrar que são sugestões de atividades e que você pode usa-las e administra-las como você quiser, dividir em quantas aulas quiser,e lembre-se de sempre usar música na aula, seja cantando alguma coisa ou colocando um CD.



EM BREVE A CONTINUAÇÃO...